Original&ExclusivoDiferença entre as coisas e tutoriais

Quem perde e quem ganha com os preços baixos do petróleo?

Quem perde e quem ganha com os preços baixos do petróleo? Os preços do petróleo continuam em queda livre, e muito acreditam que deve chegar em breve ao valor de US $ 20 por barril. A queda começou em Junho de 2014, e hoje está cotado a US $ 37 por barril.

 

“A mudança estrutural que está ocorrendo nos mercados de petróleo tem claros vencedores e perdedores”, garante a empresa americana especializada em inteligência e espionagem, Stratfor.

 

De acordo com a análise dessa empresa os países do Médio Oriente e Norte de África são os afetados com os preços baixos. Esses países são: Argélia, Iraque, Irã e os países do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC).

 

 

 

Enquanto isso, a Arábia Saudita está considerando partir para privatização, incluindo a companhia nacional de petróleo Saudi Aramco. Por sua vez, Stratfor observa que a Rússia, cujo orçamento depende fortemente das vendas de petróleo, também poderia privatizar uma parte da Rosneft para levantar fundos.

---------------

Quem perde e quem ganha com os preços baixos do petróleo

Na América Latina, os preços baixos afeta principalmente a Venezuela, Brasil e Equador. Apesar da situação, os Estados Unidos têm mantido um alto nível de produção que, juntamente com o retorno do Ira ao mercado do petróleo podem reduzir ainda mais os preços.

 

Ganhadores:

No entanto, embora os países importadores estejam ganhando, um otimismo exagerado pode prejudicá-los. Nessa categoria estão todos os países europeus, com exceção da Noruega, o maior produtor de petróleo e gás natural no continente. Segundo o FMI, a taxa de crescimento do PIB do país caiu de 2,2% para 0,8% em 2015, enquanto a sua taxa de desemprego subiu de 3,5% para 4,2% e pode continuar crescente, adverte Stratfor.

 

Impacto:

Por fim, a análise conclui que os baixos preços do petróleo poderiam prejudicar os esforços do Banco Central Europeu para gerar inflação na zona do euro e estimular o crescimento econômico.

 

Fonte:

Deixe uma resposta

Escrito Por Cilene Bonfim
Original&Exclusivo