Por que a Crimeia é tão importante para os Russos?

Para entender o que acontece na Crimeia, deve-se olhar para a história. As regiões leste e sul da Ucrânia, desde  1650 tem pertencido a Rússia. A Península da Crimeia era um reino; depois foi tomado pelos tártaros; depois foi conquistada por Catarina, por volta de 1770.

A península foi apelidada de ” czares cercadinho ” por causa do bom clima e acesso ao mar. Os governantes russos construíram a nova cidade, que sempre foi habitada por russos. Durante a existência da União Soviética, a península virou republica da União Soviética ( RSFSR ) até 1954, mas a área sempre teve muita autonomia e era considerada república autônoma.

 

Em 1954, a Crimeia foi dada para Ucrânia pela então União Soviética. A decisão foi tomada por Nikita Khrushchev , que era ucraniano. A transferência de poder não tinha nenhum significado formal, mas virou problema com dissolução da União Soviética em 1991.

 

 

Divisão da Ucrânia:

Nas regiões leste e sul moram cidadãos russos/ucranianos; no oeste e no norte moram os ucranianos com desejo de ser alinhar com Europa Ocidente. No leste e no sul se fala russo; no oeste e no norte as pessoas falam a língua ucraniana. Mas a diferença entre os dois idiomas não é grande; é como sueco e norueguês, por exemplo.

 

A diferença é mínima. Muitos falam também surzjyk , uma mistura de russo e ucraniano. 50 por cento dos ucranianos de hoje usam o russo como primeira língua, mesmo aqueles de origem não russa. Em 2012, a comissão aprovou o idioma russo como oficial para as região que tivesse 10 por cento ou mais de russos.

 

Religião:

Até na religião tem divisão. Nas regiões leste e ao sul as pessoas seguem a Igreja Ortodoxa Russa; nas regiões norte e oeste seguem a religião Ortodoxa ucraniana. Ou seja existem 2 Patriarcas (Papas): um de Moscou e outro de Kiev. O patriarca ortodoxo russo que apoia Vladimir Putin, e o Patriarca de Kiev apoia o lado que quer a Ucrânia parte da Europa.

 

Riquezas:

A região oeste é agrícola;  as regiões sul e leste foram  industrializadas durante a era soviética. As fábricas produziam equipamentos militares, tais como: mísseis, para então União Soviética.

 

A linha divisória também se reflete politicamente.

Com exceção das primeiras eleições presidenciais após a independência, em 1991,  houve sempre os que preferem a  Rússia e os que preferem a Europa Ocidental.

 

Crimeia:

A maioria da população na Crimeia é russa. Os russos são 60 por cento da população, 25 por cento são ucranianos, e tártaros constituem entre 10-15 por cento. Os russos são um grupo diverso, alguns são descendentes de famílias russas que viviam na Crimeia desde os tempos antigos e outros são imigrantes da era soviética. Além disso, a Crimeia virou refúgio de aposentado militares russos.

 

Base naval na Crimeia:

Em 1991, durante a dissolução da União Soviética, a base naval soviética em Sevastopol virou problema. A disputa foi resolvida seis anos depois, em 1997. Um acordo reconheceu a soberania da Ucrânia sobre a base, mas deu à Rússia o direito de administrar a base até 2017. Mas em troca de gás com preços subsidiados, o presidente Viktor Yanukovych , renovou o acordo sobre a base naval até 2042. A Ucrânia também tem sua frota naval estacionada em Sevastopol.

 

Ou seja a Crimeia tem uma longa história com a  Rússia, tais como:  Guerra da Crimeia, Guerra Civil, 2 ª Guerra Mundial e o Tratado de Yalta.  A área tem grande significado simbólico para russos. Muitos acreditam que a Crimeia pertence geográfica e historicamente a Rússia. Ou seja os russos acreditam que a região é mesmo deles. São milhares de anos de história. 

Adicione Comentário