Noruega nunca explorou o petróleo, sempre concedeu Licenças a empresas estrangeiras

Vejo gente divulgando insanidades, mentiras, sobre esse negócio do Pré-Sal, citando como exemplo a Noruega. Quero dizer que a Noruega, entrega todo a produção, exploração de petróleo, gás, a iniciativa privada.

 

 

Mas o governo norueguês não faz como o governo petista que levou a Petrobras a falência. O dinheiro que o governo norueguês arrecada das empresas que exploram o petróleo e gás vai para um fundo de petróleo, que investe em ações de empresas no mundo todo. Desde o início da exploração na Noruega, o governo concede licenças e as empresas pagam por essas licenças.

noruega-nunca-explorou-o-petroleo-sempre-concedeu-licencas-a-empresas-estrangeiras

Historia norueguesa:

No final da década de 1950 havia poucos que acreditavam na existente de petróleo e gás ao longo da costa norueguesa. Mas os visionários de sempre sabiam que a indústria do petróleo seria a salvação da economia norueguesa.

Licenças:

Em meados dos anos 1960 foram concedidas as primeiras licenças para exploração do petróleo. 50 anos depois, a indústria do petróleo é a mais importante para a Noruega.

 

Em outubro de 1962 a empresa Phillips enviou uma carta ao governo da Noruega solicitando permissão para exploração de petróleo no Mar do Norte. A oferta foi de US $ 160.000 por mês. A oferta foi visto como uma tentativa de ganhar direitos exclusivos. O governo não aceitou a oferta as áreas de exploração foram abertas para outras empresas.
Em maio de 1963, o governo proclamou uma nova lei que determinou que o Estado era dono e poderia conceder licenças para exploração e produção de petróleo. As licenças incluíam direitos para realizar pesquisas sísmicas, mas não a perfuração.

 

 

Dinamarca e Grã-Bretanha:

Apesar de a Noruega ter proclamado a soberania sobre grandes áreas offshore, a partilha da plataforma continental foi feita entre a Dinamarca e Grã-Bretanha. Os acordos sobre a partilha da plataforma continental foram assinados em março de 1965.

 

 

A primeira rodada de licenciamento foi anunciada em 13 de Abril de 1965. Foram concedidos 22 licenças de produção que abrangiam 78 blocos. As licenças davam direitos exclusivos para explorarão, perfuração e produção na área licenciada.

 

 

O primeiro poço de exploração foi perfurado no verão de 1966, mas não acharam petróleo. A descoberta de óleo pela primeira vez aconteceu na plataforma Balder em 1967. A descoberta, no entanto, não era rentável o suficiente.

Ekofisk:

noruega-nunca-explorou-o-petroleo-sempre-concedeu-licencas-a-empresas-estrangeiras
A aventura petrolífera norueguesa começou a sério com a descoberta de Ekofisk em 1969. Na véspera do Natal de 1969, Phillips informou as autoridades norueguesas que encontraram o Ekofisk – o que viria a ser um dos maiores campos de petróleo já encontrado no mar no mundo.

 

A principio o governo norueguês limitou a exploração em tornos das áreas ao sul de Stadt (62 graus norte). Mas progressivamente foi concedendo novas licenças para novas áreas de exploração o que resultou na descoberta de novos campos de petróleo

 

Mar da Noruega:

Em 1979, o governo permitiu atividades petrolíferas também ao norte. Começava a atividade de exploração em partes do Mar da Noruega e no Mar de Barents no início de 1980. A produção no Mar da Noruega começou em 1993 e no Mar de Barents em 2007.

 

Empresas estrangeiras:

Inicialmente empresas estrangeiras dominavam a atividade de exploração e foram responsáveis pelo desenvolvimento dos primeiros campos de petróleo e gás. Então o governo resolveu aumentar gradualmente seu envolvimento nesse rico mercado, e surgiu a Hidro, uma empresa norueguesa privada que foi criada em 1972. No mesmo ano, surgiu também a Statoil, que tinha o governo como único proprietário e foi estabelecido em 50 por cento a participação do Estado em cada licença de produção.

 

Reorganização da  indústria do petróleo:

A partir de 1 janeiro de 1985, a indústria do petróleo foi reorganizado. A participação do Estado foi dividida em dois segmentos; um relacionado com a empresa e um relacionado com interesse do estado financeiro direto nas atividades petrolíferas (SDFI).

 

 

SDFI é um arranjo em que o Estado detém uma participação em uma série de campos de petróleo e gás, dutos e oshore. A percentagem é determinada pela concessão de licenças e o tamanho varia de campo para campo. Como um dos  proprietários, o estado entra com investimentos e custos, e recebe uma porção correspondente aos lucros obtidos com a  produção.

 

Statoil na bolsa:

Na primavera de 2001, o Parlamento aprovou que 21,5 por cento dos ativos do SDFI poderiam ser vendidos. 15 por cento foi vendido a Statoil e 6,5% foi vendido a outras empresas. As vendas de ativos SDFI a Statoil era visto como um elemento importante para a realização de um IPO bem sucedido, visando a privatização da Statoil.

 

 

A Statoil entrou para bolsa de valores em junho do mesmo ano e hoje opera como qualquer empresa de petróleo do mundo. Então o governo criou a empresa Petoro em maio de 2001 que gere o SDFI em nome governo. Em 2007 houve a fusão da Statoil com a Hydro.

 

Governo vs iniciativa privada:

Primeiro as grandes empresas internacionais comandaram a exploração de petróleo na Noruega. Hoje o setor tem alto grau de diversidade e de concorrência com mais de 50 empresas norueguesas e estrangeiras operando no país.

 

Bem-estar social:

A indústria do petróleo foi a grande responsável pelo crescimento econômico na Noruega, e para o financiamento do Estado de bem-estar social.

 

Conclusão:

O governo norueguês nunca teve uma Petrobras para ser saqueada por políticos e empresas corruptas. Essa é a grande diferença!

 

Fonte:

Adicione Comentário

/* */