Einstein estava errado? Relógio mais preciso pode provar


Einstein estava errado
? o Relógio mais preciso do mundo pode provar que sim. Que faz um bom relógio? Bom, de acordo com o físico Andrew Ludlow, do nist um dos critérios mais importantes é a estabilidade.

 

“Imagine um relógio de pêndulo. O ideal é que o pêndulo balance para trás e para a frente de maneira uniforme onde cada balanço leve a mesma quantidade de tempo “, diz Ludlow.  Isso se chama estabilidade. Mas o que  se algo atrapalhasse esse sistema? O período de oscilação iria variar um pouco“, completa Ludlow.

 

Mas qual a importância disso? Bom, minha gente, a taxa dessa variação determina a precisão com que se mede a evolução dos tempos, diz o cientista.

 

Ludlow é um relojoeiro, mas não de relógios comuns, e sim de relógios atômicos que podem em última instância pode provar  que Einstein estava errado nas suas teorias.  Cada átomo de um determinado elemento tem a sua própria frequência de ressonância. A velocidade dessa vibração é muito consistente e muito rápida.

 

 

Átomos se movem ao redor, e que faz com que suas vibrações sejam mais difícil de medir. Então, Ludlow e sua equipe usaram uma rede de lasers para prender os átomos e, em seguida, resfriá-los. Com os átomos congelados, os cientistas puderam medir com mais precisão  sua vibração.

 

O Relógio de Ludlow é 10 vezes mais preciso do que o último modelo de relógio atômico. Mas que serve esse relógio? Bom, segundo o cientista serve para inúmeras aplicações científicas e técnicas.”

 

Melhores relógios atômicos vão facilitar e deixar mais rápidas as redes de telecomunicações. E alguns físicos estão empolgados com outra coisa: o teste de Einstein.

“Hoje, muitos cientistas acreditam que a teoria da relatividade é incompatível com outras teorias físicas“, diz Ludlow. Einstein previu que uma certa propriedade física, como a força da interação entre Fótons e  eletrons, ou a razão da massa de eletrões e protons, nunca deve mudar. Mas as teorias atuais dizem o contrário; as variações podem mudar.”Como os relógios cada vez mais precisos pode se explorar essa possível variação”, diz Ludlow.

 

Einstein também previu que relógios em diferentes campos gravitacionais que marque em velocidades diferentes (Por exemplo, um relógio acima do nível do mar e outro no nível do mar iriam sentir uma força gravitacional ligeiramente diferentes) O que deixaria um dos relógios um pouco mais rápido e depois de 200 mil anos, essa diferença seria de um segundo à frente.

 

O relógio de Ludlow pode registrar a mudança na gravidade através de um único centímetro de elevação. Esse tipo de sensibilidade permitirá aos cientistas testar as teorias de Einstein com maior precisão no mundo real.

 

Bom, agora é esperar para ver o que vai acontecer: Einstein estava errado ou vai continuar certo?

 

Responda esse comentario