Ciência e Tecnologia

Chineses fazem teletransporte quântico de 1.200 Kms

Chineses fazem teletransporte quântico a uma distância de 1.200 quilômetros.  O satélite chinês, Micius transmitiu com êxito informações a uma distância de 1.200 quilômetros, usando fótons emaranhados, quebrando o recorde de teletransporte quântico de 100 km estabelecidos há quase dois anos, de acordo com um estudo publicado na revista Science.

 

 

Chineses fazem teletransporte quântico de 1.200 Kms

“Ação espantosa”:

Quantum Entanglement é um fenômeno que mesmo Einstein argumentou contra a sua existência, chamando-o de “uma ação espantosa”.

 

Em essência, este processo pode ser usado para informações instantâneas ‘transporte’ de partículas teoricamente com distâncias infinitas. Exatamente por isso, Einstein não aceitou essa ideia, que viola a lei da relatividade, que afirma que nada pode viajar mais rápido que a velocidade da luz.

 

 

 

 

Em experiências anteriores fotões foram alojados em uma fibra ótica para a proteger, a mensagem. Este método foi utilizado para definir o recorde anterior. No entanto, quanto maior a distância, maior a probabilidade de que a mensagem seja perdida ou distorcida.

 

 

 

Lançado em agosto 2016 pelo projeto internacional conhecido como Experimentos Quantum de Escala Espacial (Quess, em Inglês), o satélite Micius foi o primeiro passo para a construção de uma rede global de comunicação quântica. Em vez de fibras, o sistema envia fotões entrelaçados por meio de raios laser, o que pode ajudar a minimizar a interferência.

 

 

 

A equipe liderada por Wang Jianyu conseguiu transmitir fótons emaranhados a uma distância de 1.200 km. Para isso, o feixe de laser do satélite passou através de um divisor de feixe, o que criou dois estados polarizadas diferentes: um para recepção e um para enviar fótons. Uma rede de comunicação quântica poderia tornar as telecomunicações mais seguras e muito muito mais rápidas.

 

 

 

Deixe um Comentario